Por quê R? R?

No campo da análise de dados em Biologia (especificamente no meu caso Ecologia) são inúmeros os softwares que nos trazem facilidades, desde grandes pacotes estatísticos como os famigerados PASWP (antigo SPSS), SYSTAT STATISTICA SAS até softwares específicos como por exemplo o EstimateS PATN ou Distance. Os grandes pacotes tem suas vantagens por incluírem uma grande variedade de análises atuando quase que como canivetes suíços, multiuso. Rodam dentro de um ambiente gráfico (geralmente MAC/OS ou Window$) o que deixa tudo mais bonitinho ao olhar, amores estéticos, e ao alcance de um clique do mouse. Contudo, por vezes pecam por possuírem limitações no caso de algumas análises. Mas talvez o maior pecado destes softwares seja a impossibilidade de adicionar linhas extras de códigos no programa que corrijam falhas ou os aprimorem pois este direito é restrito aos donos, as empresas, que os fabricam. Obviamente que a maior desvantagem desses grandes pacotes é o preço um tanto quanto salgado (que muitos desconhecem por usar uma versão ilegal, pirateada). :-/ O canivete suíço é cego e com partes faltando!

O R é um ambiente computacional distribuído sob os termos da GNU General Public License Version 2, June 1991 (que, trocando em miúdos, permite a livre distribuição e alterações do código fonte do programa desde que seguidos os termos nela contido). Assim, há um grande número de pessoas ao redor do mundo trabalhando em melhorias e pacotes para o R. Outro ponto favorável ao R: por ser um ambiente de programação não há limites para os tipos de análises que podem ser programadas para serem rodadas no R. Claro que para isso deveremos aprender a programar. Também é importante dizer que há uma ampla documentação disponível na www e através da página do R-project de modo que com uma boa garimpada na grande rede obtém-se muito material bom. Contudo alerto que em um primeiro momento você não terá janelas para se agarrar, prepare suas unhas :-).

Mas por quê R? Como usuário de software livre (GNU/Linux) que sou julgo coerente buscar soluções abertas para meus problemas computacionais. Assim, passei por um longo tempo buscando por substitutos dos programas que usei quando eu era, como muitos que estão lendo esta postagem, um usuário “fora da lei” de software. Mas confesso que o impulso maior foi dado quando li isso “What kinds of skills do you need for success in community ecology? I think two things are important. First, you should invest the time in learning a programming/statistical language so that you are not constrained by the limitations of existing software. S-Plus (or the free version R)…” na página do Prof. Nicholas Gotelli. Claro, foi a bela gota de inspiração que me faltava. Contando que para mim nunca foi problema trabalhar na telinha preta, pelo contrário (Como lembro dos jogos para DOS…) 🙂

Um ambiente ilimitado, livre, portanto gratuito e de código aberto, com ampla documentação… me pergunto: Por quê você ainda não largou mão deste seu software proprietário?

Seguimos

A equação me propõe computador me resolve

Anúncios

Sobre Conrado

Meu interesse é no estudo do comportamento social e comunicação de lagartos. "Infófilo", entusiasta do software livre, da licença creative commons e do livre acesso da produção artística e intelectual.

Publicado em setembro 10, 2010, em Uncategorized. Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: